26.10.10

Bloqueio.
Eu peço, eu imploro, eu ordeno. Mas elas não me odebecem mais.
Se não forem suas, já não fazem mais questão de ser. Me refiro à essas palavras mal-ditas que agora habitam minha cabeça e que lá se multiplicam a cada sorrateiro pensamento, a cada suspiro nostálgico, em cada lembrança solta...
E se não forem suas, também não quero mais que sejam.
Pois que fiquem por aqui atormentando meus dias e ocupando todo vestígio de vazio que poderia haver. Me embriago delas pra suprir a falta que você me faz.
Pois vão-se os amores mas ficam-se as palavras.
Quem quiser agora que me leia.

3 comentários:

  1. Deixo aqui meu blog caso queira dar uma olhada:
    http://bolgdoano.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Muitas palavras ficam sem nexos e não dizem nada, portanto preste atenção nos silêncios, eles são os decifradores mais minuciosos.

    ResponderExcluir